16 de mar de 2012

DNIT inova em recuperação ambiental de jazida

O Consórcio Construcap–Ferreira Guedes–MAC Engenharia, responsável pelo Lote 29 das obras de duplicação da rodovia BR-101 Sul, está executando um trabalho muito importante, que consiste na execução dos serviços de recuperação ambiental simultaneamente à extração mineral. Este serviço tem por finalidade a retirada de materiais que servirão como aterro de encabeçamento dos viadutos em execução e para a conclusão da construção da nova pista de rolamento da rodovia e vias marginais. Este método de extração de minério (argila, areia..) com a recuperação ambiental acontecendo simultaneamente está em execução em Araranguá, dentro das obras de duplicação da BR-101 Sul no lote29. 

Aárea em extração está localizada no bairro Sanga da Areia, próxima ao km 418 da rodovia. Nesta jazida serão removidos, transportados, depositados e compactados em torno de 250 mil metros cúbicos de material. Para executar a ligação da rodovia, ou seja, o encabeçamento junto aos viadutos são necessários aproximadamente 70 mil metros cúbicos de aterro construído, sendo que o volume previsto para a extração de material da jazida é o suficiente para concluir 1 viaduto e ainda sobra material para outras aplicações. O trabalho de extração é feito em parcela ou módulos; o solo é parcelado em partes iguais e em cada uma destas partes é feita a extração separadamente. Assim, com a conclusão da extração, iniciam-se os trabalhos de recuperação ambiental deste módulo, enquanto os trabalhos de escavação continuam no módulo seguinte e assim sucessivamente. 

O processo de recuperação ambiental consiste nos seguintes procedimentos: reconformar toda a área afetada e recobrir o solo exposto com gramíneas; plantar mudas de espécies arbustivas e arbóreas de modo a reinserir toda a área afetada ao meio ambiente; implantar dispositivos de drenagem para direcionar o escoamento de água de chuva evitando assim o surgimento de erosões. Este método de extração adotado pelo Consórcio permite a redução no tempo de fixação dos elementos vegetais e também uma redução no custo com posteriores serviços de correção físico-química do solo. Quando os serviços de exploração de uma área, com finalidade de extração mineral, são executados sem um planejamento adequado, o custo total com a execução destes serviços pode elevar-se muito, tendo em vista o surgimento de situações que não foram previstas, como os acidentes de trabalho, área de terceiros afetadas, substituição de mudas mortas por falta de tratos culturais, etc. Recuperação de jazidas está no PBA – A recuperação das jazidas exploradas para atenderem especificamente as obras de duplicação da BR-101 Sul, segue critérios exigidos pelo Projeto Básico Ambiental (PBA), através do Programa de Recuperação de Áreas Degradadas. 

Esta é a primeira obra rodoviária em toda a América Latina a seguir um plano de gestão ambiental, fornecendo diretrizes e parâmetros para garantir a sustentabilidade econômica e ecológica em toda a extensão da rodovia, servindo de modelo para o desenvolvimento de novos projetos de infraestrutura em outros países. Para garantir o cumprimento dos objetivos previstos no PBA da duplicação da BR-101 Sul, a Empresa de Supervisão e Gerenciamento Ambiental (ESGA), empresa contratada pelo DNIT, executa inspeções regulares aos trabalhos de extração, tratamento e conformação das jazidas, nos nove lotes catarinenses e nos seis lotes gaúchos das obras na rodovia. Além da ESGA, o Consórcio BR-101Sul (Supervisão de Obras) acompanha a recuperação de jazidas no lote 28 (Criciúma a Araranguá), lote 29 (Araranguá a Sombrio) e lote 30 (Sombrio a Passo de Torres). 

 Fonte: Empresa de Supervisão e Gestão Ambiental - ESGA / BR-101 Sul
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...